DESLIGAR AQUI O SOM

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

CORPO ATEU - Elen de Moraes




Corpo ateu

Elen de Moraes Kochman




Volta amor!
Vida sem ti é deserto,
Terra árida... sertão.
É seca, é fome, é morte,
É futuro tão incerto!
Andorinha sem verão.
Barco à deriva, sem norte.




Volta amor!
Bem sabes que ainda sou tua!
Meu abraço anda sem dono
E meu coração sem prumo...
Minha dor vive tão nua!
Despiu-se com o abandono
E pôs-se a vaguear sem rumo....




Volta amor!
Minha boca quer beber
De novo, no beijo molhado,
O doce do mel... que é teu.
Quero cravar meu prazer,
O meu desejo rasgado,
No teu belo corpo ateu....




Um comentário:

Rafael disse...

Gracias por visitar mi Blog y dejar la huella de tu paso. Así he podido venir al tuyo, ver tus poemas y recordar con alegría al "Guardador de Rebaños", de Pessoa, en el heterónimo de Alberto Caeiro.
Feliz día.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...